Vacinas, simplificações burocráticas para o ano letivo 2018-2019

Vacinas, simplificações burocráticas para o ano letivo 2018-2019

Aqui está o texto que acompanha a circular "Vacinas, simplificações burocráticas para o ano letivo 2018-2019", que você pode ver no seguinte link.

Na pendência de uma discussão parlamentar sobre o debate público sobre a vacinação obrigatória, uma vez que, à medida que o início do novo ano letivo 2018-2019 se aproxima, a falha na implementação do Registro Nacional de Vacinas pode levar a um aumento nos procedimentos burocráticos. Cobro famílias e escolas, ministros da saúde, Giulia Grilloe Educação, Universidade e Pesquisa, Marco Bussetti, interveio com uma circular, tendo em vista a expiração iminente do prazo conhecido de 10 de julho, para promover as seguintes simplificações:

• para menores de 6 a 16 anos
, quando não for a primeira matrícula, a documentação já enviada para o ano letivo de 2017-2018 permanecerá válida, se o menor não precisar realizar novas vacinas ou recalls
. para menores de 0 a 6 anos e para a primeira matrícula em escolas (menores de 6 a 16 anos), foi apresentada uma declaração substitutiva de vacinação

A principal mudança sobre o assunto é o estabelecimento doRegistro nacional de vacinas, indispensável para simplificar a vida das famílias e evitar certificações desnecessárias e onerosas, mesmo em casos de mudança de residência. O decreto ministerial está pronto e seguirá seu procedimento processual o mais rápido possível.

O Registro Nacional, a ferramenta básica para o gerenciamento de vacinas, ainda não foi implementado após 334 dias da nova lei de 2017. Ele permitirá o monitoramento de programas de vacinação, conhecendo os motivos da falta de vacinação e medindo o progresso e questões críticas no sistema.

O Registro Nacional é a base para a decolagem concreta da vigilância de vacinas, que finalmente será capaz de relatar rapidamente os eventos adversos relacionados às vacinas utilizadas e colocar os dados das Regiões no sistema. Por meio do sistema nacional de eventos adversos gerenciados pela Aifa, os relatórios podem ser comunicados por profissionais de saúde e sujeitos vacinados ou por seus pais.

Finalmente, o Tabela de especialistas independentes liderado pelo prof. Vittorio Demicheli, que permitirá produzir evidências científicas para apoiar as escolhas dos tomadores de decisão.

Objetivos da tabela:
. abordar o fenômeno da desconfiança e dissidência da vacina (de acordo com as indicações da WHO-SAGE)
. atualizar o Plano Nacional de Prevenção de Vacinas.


Para saber mais: