Publicamos o Relatório da Direção Geral de Saúde - Região da Lombardia com as reações adversas à vacina contra o HPV removidas da Internet

Publicamos o Relatório da Direção Geral de Saúde - Região da Lombardia com as reações adversas à vacina contra o HPV removidas da Internet

Nos últimos dias, o Relatório da Direção Geral de Saúde - Região da Lombardia foi repentina e inexplicavelmente removido com as reações adversas à vacina contra o HPV, publicada pela SE.REMI Região do Piemonte (Serviço Regional de Referência em Epidemiologia para vigilância, prevenção e controle de doenças infecciosas) no seguinte link https://www.seremi.it/sites/default/files/Vaccino%20nei%20confronti%20del%20Papillomavirus%20Umano_Monaco.pdf

Portanto, o Relatório não está em lugar nenhum e acreditamos que o publicaremos na íntegra para fornecer aos cidadãos informações mais completas.

O relatório, no formato de apresentação de slides, consiste em 180 páginas.

Na página 22, destaca-se o número de relatórios adversos das vacinas contra o HPV Gardasil e Cervarix na Lombardia e no Piemonte entre 2009 e 2013: na Lombardia, existem 1909 e excedem em muito os relatórios relativos a todas as outras vacinas no mercado.

Nas páginas 29 e 30, encontramos a classificação das patologias diagnosticadas após a administração das vacinas contra o HPV Gardasil e Cervarix. Em particular, são mencionados 75 casos (42 na Lombardia e 33 no Piemonte) de patologias do sistema nervoso após Gardasil e 609 casos de patologias do sistema nervoso (594 na Lombardia e 15 no Piemonte) após Cervarix. Além disso, são relatados na Lombardia 333 casos de patologias músculo-esqueléticas e de tecidos conjuntivos após Cervarix e 1561 casos de patologias sistêmicas relacionadas ao local de administração.

Na página 39, um slide mostra o número de 585 notificações de perda de consciência após a administração da vacina contra o HPV Gardasil, incluindo 4 mortes.

Nos slides 71 a 75, no entanto, as "reações mais graves" estão listadas:

  • após administração de Cervarix, 17 de fevereiro de 2012, astenia, cegueira, disfagia, encefalopatia, dificuldade para caminhar, distúrbio da fala após 12 dias. O aparecimento de astenia, dor de cabeça e febre foi relatado desde o dia seguinte à vacinação. Portanto, o sujeito com 12 anos é hospitalizado em neurorimação por piora das funções vitais e quase total perda do viso. Observou-se melhora parcial do visus na alta cerca de um mês após a admissão e foi realizada terapia com metilprednisolona e realização de plasmaférese.
  • 2 casos de diplopia (patologia ocular). Um caso associado à sibilância ocorreu no mesmo dia após a terceira dose de Cervarix.
  • Foram relatados dois casos de doença desmielinizante, um dos quais após a administração de Gardasil em um mês e um caso de uma menina de 16 anos que apresentou parestesias cerca de 15 dias após a primeira dose de Cervarix. Após os testes realizados, a esclerose múltipla foi diagnosticada.

Além disso, são relatados 95 casos de encefalomielite aguda disseminada (ADEM) após a administração de Gardasil e 42 após a administração de Cervarix (na página 9).

Entre os casos citados (páginas 99-100):

  • Menina branca, 13 anos, internada por deficiência unilateral do segundo e terceiro nervos cranianos e sinais objetivos de meningoencefalite. História patológica negativa. A ressonância magnética do cérebro revelou a presença de múltiplas lesões de expansão do anel localizadas no tálamo, ponte e ínsula da substância branca.
  • Uma menina de 12 anos foi hospitalizada por dormência do pé esquerdo, dificuldade para caminhar e distúrbios da fala. História médica e exames laboratoriais negativos para doenças infecciosas. Durante a internação, as condições neurológicas se deterioraram e a menina desenvolveu enurese, incontinência fecal e disfagia. A ressonância magnética (MRI) do cérebro revelou a presença de múltiplas lesões de expansão de anel no nível subcortical, da ponte, do surgimento do trigêmeo e no nível do mesencéfalo.

Download: Vacina-in-contra-o-papilomavírus-Umano_Monaco.pdf