Agenda Global de Segurança em Saúde: Itália líder nas estratégias mundiais de vacinação para os próximos 5 anos

A nomeação ocorreu na Casa Branca, na presença de Barack Obama. Ministro Lorenzin e Presidente Aifa Pecorelli: "Reconhecimento científico e cultural internacional importante para o nosso país". A Itália estará envolvida com escolas e universidades para treinar estudantes e professores sobre a importância das vacinas e do estilo de vida correto.

29 SET - A Itália guiará estratégias e campanhas de vacinação em todo o mundo nos próximos cinco anos. Foi o que foi decidido na Agenda Global de Segurança em Saúde, realizada na sexta-feira passada na Casa Branca. Nosso país, representado pelo Ministro da Saúde Beatrice Lorenzin, acompanhado pelo presidente da Agência Italiana de Medicamentos (Aifa) Sergio Pecorelli, ele foi nomeado pela Cúpula de 40 países, com a presença do Presidente dos EUA Barack Obama.
 
"É um importante reconhecimento científico e cultural para a Itália, especialmente neste momento em que atitudes hostis contra vacinas estão crescendo", afirmou Pecorelli. Precisamos intensificar campanhas de informação na Europa, onde os fenômenos anti-vacinais estão crescendo. Esta é uma operação que a Itália pretende realizar com o envolvimento ativo de todos os atores, incluindo universidades. Evitar a propagação de doenças erradicadas há muito tempo nos países ocidentais e que, além do impacto dramático que causam em mortes e doenças evitáveis, impõem custos significativos aos sistemas de saúde ".

 
"Na saúde, precisamos fortalecer a cooperação internacional - disse o ministro Lorenzin -. A questão das vacinas será uma das prioridades durante o semestre italiano da Presidência Europeia. Nosso país está localizado no centro da região do Mediterrâneo e as muitas crises internacionais levaram a novos fluxos migratórios maciços. Os controles precisam ser reforçados contra doenças endêmicas reemergentes, como poliomielite, tuberculose, meningite ou sarampo. Se queremos evitar o colapso dos sistemas de saúde do Velho Continente, devemos fortalecer os processos de vacinação contra todas as pessoas que vivem na Europa. A Itália, através da operação Mare Nostrum, realizou mais de 80.000 exames de saúde nos últimos meses. Já temos experiência suficiente para coordenar campanhas de prevenção contra novas possíveis epidemias ".
 
"Mas o compromisso da Itália com esta campanha - continuação de Pecorelli - a favor da vacinação também será alcançado com o envolvimento das universidades, a partir de importantes experiências já obtidas com o projeto Saúde 10+, promovido pela Fundação Saudável em duas regiões, Lombardia e Veneto. Iniciativa que agora se estende a outras 7 regiões, indo ao ensino médio para conversar com crianças (e professores) sobre estilos de vida e vacinas corretos. O projeto será apresentado em 3 de novembro em Roma, durante a reunião sobre políticas de vacinação promovida pelo Ministério da Saúde e pela Aifa, como parte dos eventos do semestre italiano de fotopresidência ".