Fraude com drogas, investigou o ex-CEO da San Raffaele Nicola Bedin

Fraude com drogas, investigou o ex-CEO da San Raffaele Nicola Bedin

"Enormes quantidades de medicamentos. Muitos acabam amontoados em geladeiras. Comprados por empresas farmacêuticas compatíveis a um preço com desconto, com base em acordos adotados sob a tabela, que o grupo San Donato, no entanto, foi reembolsado pela região da Lombardia pelo preço total". então lemos no site da La Stampa de 30 de junho de 2020. O artigo continua citando "Reembolsos que causaram danos aos cofres regionais por 10 milhões e quase 250 mil euros, que o grupo hospitalar está reembolsando à Região. E no aviso de conclusão das investigações A preliminar assinada pelo promotor Paolo Storari sai um novo nome: o do então CEO da San Raffaele, Nicola Bedin, hoje presidente da Snam.

"Soube pela imprensa que seria investigado por fatos relacionados à compra de medicamentos pelo Hospital San Raffaele, do qual eu era diretor-gerente", comenta Bedin. «Ainda não recebi nenhuma notificação, mas agora posso declarar que não tenho conhecimento de nenhuma suposta irregularidade. Tenho plena confiança no trabalho do judiciário e estou convencido de que minha total separação do caso será esclarecida em breve ».
Entre os outros dez suspeitos, existem administradores e gerentes de vendas das 5 empresas farmacêuticas envolvidas: spa Mylan, Abbvie, Novartis, Eli Lilly Italia e spa Bayer. Mas também Massimo Stefanato, na época representante do departamento de compras de San Raffaele e Mario Giacomo Cavallazzi, então responsável pelos serviços de farmácia de vários hospitais do Grupo San Donato, que acabaram em prisão domiciliar em dezembro passado.
Todos são acusados ​​de várias capacidades de fraude na competição agravada pela enorme quantidade. As investigações, conduzidas pela Unidade de Polícia Econômica e Financeira do Gdf em Milão, mostraram que as empresas venderiam drogas a 9 hospitais do Grupo San Donato que o Grupo teria então reembolsado pela Região a preço integral, omitindo indicar os descontos aplicados sobre o preço (de 2 a 20%) após acordos informais vinculados à realização de determinados volumes de compras.


fonte: https://www.lastampa.it/cronaca/2020/06/30/news/truffa-farmaci-indagato-ex-ad-del-san-raffaele-nicola-bedin-1.39027685