PRO VAX E NÃO VAX? Simplificações de mídia. A pesquisa científica diz isso - G. Gobo e B. Sena

Além da simplificação dicotômica na mídia, o novo estudo de Giampietro Gobo e Barbara Sena

O artigo "Além da polarização "pro-vax" versus "no-vax". Atitudes e motivações no debate italiano sobre vacinas"Editado para a revista"Saúde e Sociedade"Por FrancoAngeli, um dos primeiros estudos científicos sociológicos, que tenta recompor o debate italiano sobre o tópico discutido de vacinação e melhores práticas relacionadas.

Fruto da pesquisa realizada pela Giampietro Gobo, Universidade de Milão, e Barbara Sena, University of Rome Unitelma Sapienza, o estudo destaca os múltiplos pontos de vista, também e acima de tudo no campo científico, das vacinas. Algumas dessas posições, devido à sua especificidade e articulação, têm sido frequentemente negligenciadas por uma representação superficial do debate, segundo os autores, que produziu uma visão polarizada inadequada de um tema relevante de saúde pública.

O debate reacendeu após a apresentação e posterior aprovação da chamada Lei Lorenzin (Lei no.119, de 31 de julho de 2017), que introduziu as dez vacinas obrigatórias para menores de 0 a 16 anos e a oferta livre de outras quatro vacinas altamente recomendadas (meningococo B, meningococo C, pneumococo e rotarivírus).

Sinopse das posições no debate italiano sobre vacinashttps://www.byoblu.com/wp-content/uploads/2019/10/20191029_184956-300x160.jpg 300w, https://www.byoblu.com/wp-content/uploads/2019/10/20191029_184956-768x411.jpg 768w, https://www.byoblu.com/wp-content/uploads/2019/10/20191029_184956-1024x547.jpg 1024w, https://www.byoblu.com/wp-content/uploads/2019/10/20191029_184956-500x267.jpg 500w, https://www.byoblu.com/wp-content/uploads/2019/10/20191029_184956-800x428.jpg 800w, https://www.byoblu.com/wp-content/uploads/2019/10/20191029_184956-1280x684.jpg 1280w "tamanhos =" (largura máxima: 1620px) 100vw, 1620px "width =" 1620 "height =" 866 ">

Segundo a maioria dos meios de comunicação de massa, o debate contrastou fundamentalmente duas posições: uma, em grande parte majoritária, a favor das vacinas e a outra contra, chamada "no-vax"(Ou" vax livre "). Este estudo, portanto, visa oferecer uma interpretação diferente do debate italiano sobre vacinação, superando a simplificação representada pela dicotomia "pro-VAX"Versus"no-vax"E destacando como as posições e os atores envolvidos no debate e na escolha de vacinar ou não uma criança são muito mais variados e complexos do que os relatados pela mídia de massa.

Em particular, será apresentada uma nova classificação que identifique nove posições ou atitudes em relação às vacinas, diferentes e contíguas entre si, das quais as "pro-VAX"E"no-vax”Representa apenas os extremos. Essas posições são tomadas por diferentes atores, como médicos, pediatras, cientistas, jornalistas, políticos, juristas, etc. e não apenas como pais.

Claudio Messora entrevista os autores desta nova pesquisa científica sobre o Byoblu, que fornece um estímulo importante e útil para reconsiderar os termos do debate público sobre vacinas, atualmente parado.