Empresas farmacêuticas e Afeganistão

(Tempo de leitura: 1 minuto)

Mais de 90 bilhões de dólares por ano. Isso é o que as empresas farmacêuticas cobram pela venda de medicamentos à base de opiáceos. Grande parte desse ópio vem do Afeganistão, cuja produção aumentou 5.000.000% desde o início da guerra, há 18 anos. As únicas pessoas que se beneficiam desse conflito não são os afegãos, que são quase tão ruins quanto eram sob o Talibã, mas são empresas farmacêuticas, fabricantes de armas, empresas mercenárias, máfias e extremistas islâmicos, incluindo a Al Qaeda e ISIS.