A vacina contra a difteria pode causar ferimentos e/ou morte?

A vacina contra a difteria pode causar ferimentos e/ou morte?

A vacina contra a difteria pode causar ferimentos e/ou morte?

NOTA IMPORTANTE: A Corvelva convida-o a obter informação aprofundada através da leitura de todas as secções e links, bem como dos folhetos dos produtos e fichas técnicas do fabricante, e a falar com um ou mais profissionais de confiança antes de decidir vacinar-se a si ou ao seu filho. Esta informação é apenas para fins informativos e não pretende ser um conselho médico.

O artigo a seguir tenta lançar luz sobre o vasto mundo das reações adversas, com um olhar específico para a contra a difteria, mas pedimos que você leia todos os focos relatados abaixo para entender as outras questões relacionadas, como o problema das vacinas múltiplas , a hipersensibilidade a um ou mais compostos da vacina, o problema da SIDS e dos adjuvantes. A maioria das vacinas no mercado é produzida, para fins comerciais, muitas vezes em formulações múltiplas, o que torna o tema dos danos causados ​​pelas vacinas muito mais amplo.

O Institute of Medicine (IOM) reconheceu que existe uma suscetibilidade individual a reações a vacinas por razões genéticas, biológicas e ambientais, mas que os fornecedores de vacinas não podem prever com precisão quem sofrerá complicações antes de uma vacina ser administrada. , ferimentos ou morte devido a vacinação.(1) No entanto, uma pessoa que já teve uma reação grave a uma vacinação ou que está com doença aguda ou crônica deve se informar sobre todos os riscos potenciais associados à vacinação e discutir quaisquer preocupações com um profissional de saúde antes de receber uma vacina. DTaP/Tdap/Td ou qualquer outra vacina.

De acordo com o CDC, os possíveis efeitos colaterais da vacina DTaP incluem:(2) Dor, inchaço e vermelhidão no local da injeção; cansaço; agitação; febre; Perda de apetite; Vomitar; Choro contínuo por 3 ou mais horas; Febre acima de 40,5°; Inchaço de todo o membro vacinado; Reação alérgica grave; morte.

De acordo com o CDC, os possíveis efeitos colaterais da vacina Tdap incluem:(3) Dor, vermelhidão e inchaço no local da injeção; Zumbido nos ouvidos, dor de cabeça;
Náusea, diarréia, dor de estômago, vômito; Dores articulares; Cansaço; febre; Tontura ou desmaio; Reação alérgica grave; Morte.

De acordo com o CDC, os possíveis efeitos colaterais da vacina Td incluem:(4) Dor, vermelhidão e inchaço no local da injeção; febre; cansaço; dor de cabeça; Náusea e vômito; Dor de estômago; Zumbido nos ouvidos; Alterações na visão; Tontura ou desmaio; Reação alérgica grave; Morte.

Em 1994, o Instituto de Medicina dos EUA (IOM) relatou que havia evidências científicas convincentes para concluir que as vacinas contra tétano, DT e Td podem causar a síndrome de Guillain-Barre (GBS), incluindo morte, neurite braquial e morte por anafilaxia (choque ).(5) No entanto, em 2012, o Comitê do IOM relatou que havia falta de evidências para apoiar ou rejeitar uma associação causal entre GBS e vacinas contra tétano, toxóide diftérico e pertussis acelular.

Este comitê também relatou a falta de evidência apoiando ou rejeitando uma associação causal entre encefalopatia, encefalite, espasmos infantis, convulsões, ataxia, autismo, encefalomielite disseminada aguda (ADEM), mielite transversa, polineuropatia inflamatória disseminada crônica, neurite óptica, início de esclerose múltipla em adultos, recaída de esclerose múltipla em adultos, recaída de esclerose múltipla em crianças, síndrome mioclônica opsoclônica ou paralisia de Bell e vacinas contra tétano, toxóide diftérico e pertussis acelular. No entanto, havia evidências suficientes para apoiar de forma convincente uma associação entre anafilaxia e tétano, toxóide diftérico e vacinas acelulares contra coqueluche.(6)

Em 2017, pesquisadores da Guiné-Bissau compararam as taxas de mortalidade de crianças vacinadas contra difteria, tétano e coqueluche de células inteiras (DTP) entre três e cinco meses de idade com as de crianças ainda não vacinadas com a vacina DTP e descobriram que todas as causas as taxas de mortalidade foram significativamente maiores entre as crianças vacinadas com DTP do que entre as ainda não vacinadas. Os pesquisadores também observaram que, se a vacina oral contra a poliomielite (OPV) fosse administrada ao mesmo tempo que a vacina DTP, as taxas de mortalidade por todas as causas diminuíam, mas ainda permaneciam significativamente mais altas do que em crianças não vacinadas.(7)

Quando o Comitê Consultivo sobre Práticas de Imunização (ACIP) do CDC recomendou, em outubro de 2012, que todas as mulheres grávidas recebessem uma vacina Tdap durante todas as gestações, entre 27 e 36 semanas de gestação, reconheceu que “existe um risco teórico de reações locais graves”8 em mulheres grávidas mais frequentemente vacinadas devido a gravidezes múltiplas próximas. O ACIP, no entanto, também reconheceu que nenhum estudo jamais examinou a segurança de administrar a vacina Tdap a mulheres grávidas durante as gestações subsequentes, mas disse que planeja monitorar tanto o Vaccine Adverse Events Reporting System (VAERS) no futuro quanto o Vaccine Safety Datalink (VSD) para avaliar eventos adversos, resultados adversos da gravidez materna e resultados do parto.(9)

Em 2018, o ACIP informou que os estudos sobre o uso da vacina DTPa na gravidez não revelaram "preocupações de segurança novas ou inesperadas".(10) mas ele admitiu que os estudos sobre a segurança da administração da vacina DTP na gravidez em intervalos próximos com outra vacina contendo o toxóide tetânico são limitados.(11)

Este artigo foi resumido e traduzido por Centro Nacional de Informações de Vacinas.

Recomendamos que você leia também...

Corvela

Publique o módulo Menu na posição "offcanvas". Aqui você pode publicar outros módulos também.
Saber mais.