Quando nasceu a vacina contra hepatite A?

Quando nasceu a vacina contra hepatite A?

Quando nasceu a vacina contra hepatite A?

A pesquisa sobre o uso da vacina contra hepatite A inativada por formalina em seres humanos foi publicada pela primeira vez em 1991 por um grupo de cientistas do Instituto de Pesquisa do Exército Walter Reed. De acordo com o estudo publicado, os cientistas conseguiram demonstrar que a vacina inativada poderia produzir anticorpos contra a hepatite A.(1) Também em 1991, foi publicada uma pesquisa sobre o uso de uma vacina viva atenuada contra hepatite A, capaz de produzir anticorpos contra a hepatite A em humanos.(2) Embora nenhuma vacina viva contra hepatite A tenha recebido aprovação da FDA para uso nos Estados Unidos, vacinas vivas atenuadas contra hepatite A estão atualmente em uso na Índia e na China.(3)

A Merck e a GlaxoSmithKline continuaram a desenvolver de forma independente as suas vacinas inativadas contra a hepatite A e, em 1992, os cientistas da Merck publicaram pesquisas sobre a vacina VAQTA contra a hepatite A. O artigo publicado relatou um estudo envolvendo aproximadamente 1000 crianças com idades entre dois e 16 anos que viviam em uma comunidade judaica hassídica no norte do estado de Nova York. 519 crianças receberam a vacina que continha 300mcg de hidróxido de alumínio e timerosal na diluição de 1:20.000, enquanto 518 crianças receberam uma dose “placebo” de 300mcg de hidróxido de alumínio juntamente com uma diluição de 1:20.000 de timerosal. O estudo publicado relatou a capacidade da vacina de prevenir casos clínicos de infecção por hepatite A, mas também afirmou que os investigadores não conseguiram demonstrar que a vacina era capaz de prevenir infecções subclínicas.(4) Em 1994, a GlaxoSmithKline publicou uma investigação sobre a sua vacina contra a hepatite A HAVRIX, relatando que a vacina era 94% eficaz na prevenção de casos de infecção por hepatite A.(5)

Em 22 de fevereiro de 1995, HAVRIX recebeu aprovação da FDA para uso em adultos e crianças com dois anos de idade ou mais.(6) Um ano depois, a vacina contra hepatite A da Merck, VAQTA, recebeu aprovação da FDA para uso em pessoas com 2 anos de idade ou mais.(7)

Em Dezembro de 1996, o Comité Consultivo sobre Práticas de Imunização (ACIP) do CDC publicou as suas primeiras recomendações sobre a utilização da vacina contra a hepatite A. O ACIP recomendou a vacinação contra a hepatite A para todas as pessoas que viajam ou residem em países com taxas intermédias ou elevadas de hepatite. A infecções, com a primeira dose recomendada pelo menos quatro semanas antes da partida. No entanto, foi sugerido que um teste pré-vacinal para anticorpos da hepatite A seja realizado em pessoas idosas, devido à probabilidade de exposição prévia e imunidade atual à hepatite A. A vacinação contra hepatite A também foi recomendada para todas as crianças de 2 anos e idosos que residem em comunidades com altas taxas de infecção por hepatite A ou onde ocorreram surtos periódicos. O CDC observou, no entanto, que as crianças entre os 10 e os 15 anos que residem nestas comunidades de alto risco provavelmente não necessitam de vacinação devido à probabilidade de exposição prévia e imunidade actual à hepatite A.(8)

Em 11 de maio de 2001, a vacina TWINRIX da GlaxoSmithKline, uma vacina bivalente contendo a vacina HAVRIX para hepatite A e a vacina ENGERIX-B para hepatite B, recebeu aprovação para uso em adultos a partir dos 18 anos, após ensaios clínicos envolvendo menos de 2.200 adultos saudáveis. . TWINRIX, que contém fosfato de alumínio e hidróxido de alumínio, timerosal, neomicina, formalina, levedura e 2-fenoxietanol como conservante, foi declarado pela GlaxoSmithKline como sendo tão eficaz quanto doses separadas de HAVRIX e ENGERIX-B.(9-10)

As taxas de infecção por hepatite A caíram de 17.047 casos notificados em 1999 para 4.488 casos notificados em 2005, apesar das baixas taxas de vacinação contra hepatite A. Em 2004, a Pesquisa Nacional de Imunização descobriu que apenas 54% das crianças com idade entre 24 e 35 meses residiam em estados onde a hepatite A. Foi recomendada a vacinação tendo recebido a vacina contra a hepatite A. Além disso, apenas 27% das crianças nos estados onde a vacinação deveria ser recomendada receberam a vacina. Além disso, apenas 27% das crianças nos estados onde a vacinação deveria ser considerada foram vacinadas. As taxas de vacinação infantil nos demais estados foram relatadas como baixas, chegando a 2%.13(11)

Em 2005, tanto o VAQTA da Merck quanto o HAVRIX da GlaxoSmithKline receberam aprovação da FDA para uso em crianças a partir de um ano de idade, em vez de dois anos de idade.(12-13) O VAQTA da Merck recebeu aprovação para uso em crianças com um ano ou mais após ensaios clínicos envolvendo apenas 706 crianças,(14) enquanto o HAVRIX da GlaxoSmithKline recebeu aprovação após ensaios clínicos envolvendo 723 crianças menores de dois anos de idade.(15) No início de 2006, após a aprovação da FDA para reduzir a idade de administração de ambas as vacinas contra a hepatite A, o ACIP recomendou a vacinação de rotina contra a hepatite A para todas as crianças, com a primeira dose a ser administrada entre os 12 e os 23 meses de idade e a segunda dose pelo menos aos seis meses de idade. meses depois.

Este artigo foi resumido e traduzido por Centro Nacional de Informações de Vacinas.

NOTA IMPORTANTE: A Corvelva convida-o a obter informação aprofundada através da leitura de todas as secções e links, bem como dos folhetos dos produtos e fichas técnicas do fabricante, e a falar com um ou mais profissionais de confiança antes de decidir vacinar-se a si ou ao seu filho. Esta informação é apenas para fins informativos e não pretende ser um conselho médico.

Corvela

Publique o módulo Menu na posição "offcanvas". Aqui você pode publicar outros módulos também.
Saber mais.