Danificado e oculto: Usaremos o TAR para descobrir quantos são danificados por vacinas na Itália

Danificado e oculto: Usaremos o TAR para descobrir quantos são danificados por vacinas na Itália
(Tempo de leitura: 2 - 3 minutos)

Há quase um ano e meio pedimos uma resposta à pergunta mais importante para nós, saber o número de vítimas da vacina na Itália, mas continuamos a chocar contra um verdadeiro muro de borracha e hoje dizemos isso a vocês. usaremos o TAR para obter uma resposta.!

Deve-se ter como premissa que seja qual for esse número, ele subestimará inevitavelmente e fortemente a real extensão dos eventos adversos, mesmo graves, pois ao longo dos anos o Ministério da Saúde desenvolveu uma máquina burocrática de não reconhecer os danos e a advocacia do Estado tem a já costumeira "tarefa" de recorrer a todas as instâncias de julgamento com o objetivo, lícito mas antiético, de estender os julgamentos além da medida e, assim, atrasar as sentenças e os seus reconhecimentos. Então, de fato, o número de vítimas reconhecidas pelo Estado é, em nossa opinião, um percentual mínimo em relação ao real, mas, em todo caso, quanto é esse número?

Hoje, depois dos vários pedidos de acesso aos documentos, depois dos silêncios e evasivas respostas e depois de recorrer ao responsável, estamos mais uma vez no ponto de partida ou quase: a resposta é que eles são 648. Ma ...

Em abril de 2021, após nosso pedido de revisão, eles responderam e essa resposta pode ser resumida nas seguintes frases:

“Os requisitos desta Associação impõem uma consistente atividades de preparação, organização, elaboração, interpretação que a administração deve realizar especificamente para disponibilizar os dados solicitados. Estes dados, que, recorde-se, não se encontram directamente disponíveis: o Gabinete 4 da referida Direcção Geral, com efeito, procede à resolução das indemnizações e dos litígios que lhes estão relacionados e que correspondem ao pedido em causa. deve desviar recursos em detrimento da atividade ordinária da liquidação, já suficientemente onerada pela execução das inúmeras condenações judiciais, incluindo as condenações de cumprimento pelos TARs."

Portanto, o órgão responsável não sabe nos responder porque não processa os dados e porque está muito sobrecarregado "pelo cumprimento das inúmeras sentenças judiciais" e evidentemente nem mesmo o Ministério da Saúde está em condições de nos fornecer uma resposta porque continua a indicar os números de outra lei que, pela sua própria natureza, apresenta números ainda menores.
Daí surge a legítima pergunta: impuseram a vacinação obrigatória sancionada pela Lei 119/17 sem dispor de dados reais sobre a relação risco / benefício ?! E ainda: a assinatura de cada consentimento informado carece implicitamente de informações que não o permitam ser preenchido em sua forma?

Não nos contentamos com uma postagem em uma rede social para denunciar essa atitude conspiratória por parte das instituições e, como mencionado no início, já pedimos ao nosso advogado que interpusesse recurso junto ao TAR competente, o do Lazio, para pegue esses números!

Nossas perguntas, ainda sem resposta hoje, são claras. Pedimos e queremos saber:

  • o número de casos de danos causados ​​por vacinações obrigatórias e não obrigatórias reconhecidos;
  • o número de casos de morte por vacinação obrigatória e não obrigatória reconhecida;
  • o valor total compensado pelo estado;
  •  os reconhecimentos de indenização (tanto em caso de dano como de morte) divididos por ano, faixa etária do sujeito indenizado e região de competência do reconhecimento.

Não vamos parar até termos uma resposta e depois vamos pedir que esses dados sejam sempre públicos, que não tenhamos que brigar com o mundo para descobrir. Que você não deve pedir a um juiz para saber algo que deve ser sempre público!

Cajado de Corvelva


EM CORVELVA 6 1 de abril

EM CORVELVA 6 1 de abril