Apelo internacional: peça aos seus governos para ver os dados técnicos e científicos da emergência Covid-19!

Apelo internacional: peça aos seus governos para ver os dados técnicos e científicos da emergência Covid-19!

Baixe o apelo em PDF
Faça o download da ligação internacional em PDF


Dirigimo-nos a todas as associações (e cidadãos) dos países que viveram e estão experimentando medidas e limitações semelhantes à italiana. Precisamos alertá-los para um fato que, em nossa opinião, é inaceitável e queremos pedir ao resto do mundo que atue para lançar luz sobre as infinitas sombras que circundam a situação de emergência que enfrentamos.

Somos uma associação italiana 1 que desde 1993 luta pela liberdade de escolha nos domínios da vacinação e da terapêutica, mas hoje estamos aqui para falar também àquelas realidades que não se refletem na nossa forma de pensar e viver a liberdade.

Os italianos sobreviveram à pandemia de Covid-19 seguindo todas as regras impostas servilmente. O povo italiano aceitou as restrições e disposições do Governo, mas mesmo assim passamos meses assistindo a programas de televisão que mostravam o uso de drones, helicópteros e barcos de aplicação da lei, perseguindo e identificando cidadãos que caminhavam em ruas desertas ou praias vazias, 2-3-4-5-6-7 até mesmo bloqueando serviços religiosos com a polícia. Vimos a mídia apontar o dedo aos corredores, cidadãos comuns que corriam sozinhos de repente se tornaram pragas implacáveis, a principal causa de infecções, de acordo com a narrativa da mídia.
Aceitamos silenciosamente o desmoronamento silencioso da economia do nosso país e o mínimo que se deve dar por certo é que o governo responsável pelas medidas e limitações impostas deve esclarecer, estar disponível para fornecer evidências e dar respostas à população. 

Todas as escolhas feitas pelo governo italiano para administrar a emergência Covid-19 tiveram e terão como pilar de sustentação o parecer de um Comitê Técnico Científico (CTS). Um pequeno número de pessoas ditou a agenda do Governo, desde o Bloqueio nas suas formas e duração, às máscaras, ao distanciamento social até todo acto legislativo editado uma única vez “após parecer da Comissão Técnico-Científica”.

Recentemente, três advogados pertencentes a uma fundação decidiram fazer um pedido de acesso aos documentos (FOIA) e especificamente o pedido era para ver a ata da Comissão Técnica Científica de 18 de fevereiro, 1 de março, 7 de março, 30 de março e 9 de abril. Os dados e opiniões expressos e recolhidos nestas atas são, de facto, o motivo, o impulso, a base sobre a qual o Governo emitiu todos os atos relativos à gestão de emergências Covid-19.

Depois de verem um ao outro negar seu pedido na primeira instância, eles foram forçados a recorrer ao tribunal. Em 23 de julho de 2020, o Tribunal Administrativo Regional da Região do Lácio (TAR) se manifestou a favor da publicação dos documentos até 21 de agosto. 8
E aqui está o fato chocante e inaceitável para nós: o Governo italiano, por meio da Avvocatura dello Stato, em 31 de julho se opôs 9 também ao julgamento do Tribunal (TAR) motivando que a publicação traria  “Dano concreto à ordem pública e à segurança que o conhecimento das atas do CTS, na presente fase da emergência, implicaria tanto no que se refere às avaliações técnicas como às orientações gerais do corpo técnico”. 10

Em 5 de agosto de 2020, de fontes jornalísticas 11 e pelos mesmos advogados que fizeram o pedido de acesso aos documentos, 12 ficamos sabendo que o Governo italiano publicará esta ata, mas o assunto permanece o mesmo:

Por que não tornar transparente o que realmente aconteceu na fase de emergência? Se o governo italiano agiu com base na opinião de especialistas, por que se opor à publicação dos dados? Quais são os conteúdos dessas atas que deveriam causar danos? Por que haveria danos à ordem e à segurança públicas?

Nos próximos dias informaremos a todos sobre o conteúdo desta ata, verificando em conjunto com os diversos especialistas que trabalham ao nosso lado, se as políticas emergenciais foram corretamente realizadas, se foram justas ou exageradas ou desproporcionais, até pelo menos o fim do Estado de Emergência, mas o preocupa-nos muito o facto de o Governo se ter oposto à publicação de documentos que devam ser públicos. Lembramos que a notícia da desclassificação da ata, se analisada com honestidade intelectual, mostra que ela se deu exclusivamente por conflitos políticos com a oposição parlamentar, não por uma verdadeira escuta e transparência perante a cidadania. 

Vocês que nos lêem, cidadãos e associações, têm à sua disposição uma ferramenta que foi criada para este tipo de ação, a Lei de Liberdade de Informação, 13 ou a lei sobre liberdade de informação e acesso público aos dados mantidos por governos nacionais. É nosso direito saber e ter acesso às informações em poder do governo! 

Qualquer pessoa, através de uma equipa jurídica mas também de forma autónoma, pode imprimir na mesma linha um pedido de acesso aos documentos destinados a verificar quais são as condições, as actas, a documentação com base na qual os vários países aprovaram vários decretos e actos no quadro de gestão da emergência Covid-19, obviamente em relação aos atos que trouxeram consigo uma contrapartida em termos econômicos e a limitação das liberdades pessoais. A nosso ver, isso não é necessário por desconfiança a priori, mas por um necessário sentido cívico e um dever de fiscalização, exercido democraticamente com os instrumentos disponíveis, que existem precisamente para esses fins. 

Se você acredita que existem condições para levantar dúvidas legítimas na gestão da Covid-19 e se seu governo não tornou públicos todos os dados, opiniões e "conselhos" dos especialistas dedicados à emergência da Covid-19 que levou à adoção dos atos com um forte impacto inevitável na vida dos cidadãos a curto e longo prazo, pergunte-se para tornar visíveis os dados e relatórios originais!

Repetir esta ação em vários países aumenta as chances de lançar luz sobre a gestão desta situação de emergência ligada à Covid-19, onde o governo italiano vetou essa possibilidade, pelo menos por enquanto. 

Colocamo-nos à disposição de todos os interessados, para o que pudermos daremos mais esclarecimentos e o nosso auxílio a compreender como foi aqui proposto o pedido e como o Governo decidiu responder.

A actuação coordenada serve antes de mais para dar um sinal claro sobre a necessidade e vontade das populações de terem respostas, ao mesmo tempo que aumenta a possibilidade de obter dados e respostas sobre o mérito.

Obrigado a todos

Cajado de Corvelva


Documento assinado por:

  • Sara Cunial, Membro do Parlamento
  • Ivan Catalano, Presidente da Comissão COSMI, ex-Deputado e ex-Vice-Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito “Uranio Impoverito”
  • Davide Barillari, Conselheiro Regional do Lácio e Presidente da Comissão do Pluralismo de Informação
  • Ader
  • CliVa Toscana
  • Beija-flor Puglia
  • Cidadãos conscientes da Puglia
  • CReLDiS
  • GroupsUniti.it
  • Pais da Lombardia sem compromisso
  • VacciPiano Sicília
    … e muitos outros

Referências


Nações que aderiram à Lei de Liberdade de Informação