AVISO A SÓCIOS E GOSTOSOS

AVISO A SÓCIOS E GOSTOSOS

Por 3 anos, vários personagens têm tentado nos arrastar para guerras internas feitas de controvérsias e brigas nas redes sociais, então acreditamos que podemos aproveitar esta oportunidade para listar as poucas regras básicas desta Associação na gestão de relacionamentos gerais na maioria dos problemas "internos":

  1. Não nos importamos com nada além da liberdade de escolha. Não dizemos isso porque somos sofisticados e não queremos discutir, simplesmente não nos importamos e a maioria das pessoas não se importa. Somos uma minoria ativa, capaz de quebrar as caixas do sistema, não temos tempo, desejo, necessidade ou interesse em perder tempo com coisas “sociais”.
    Você não gosta da maneira como estamos? Você gostaria de nos ver brigando com contas sociais como crianças do ensino médio? Não acreditamos, mas mesmo que fosse, daremos um motivo.

  2. Não somos partidários. Sempre fomos e continuaremos a ser. Não importa a quem você dá sua preferência de voto.
    Claro que podemos "falar" de política, pois política também se faz falando de qualquer assunto, mas não permitimos, nos nossos canais, divulgar nada que seja eleitoral e isso por um motivo que para nós é bastante simples: não temos interesse em divisões . Se você votar à direita, esquerda, Lega, M5S, Vox, SiAmo ou outros, não nos importamos. Abundam as informações sobre o tema liberdade de escolha terapêutica, procuramos divulgá-las da melhor forma e atentando também para a qualidade das fontes, cada um tirará as suas próprias conclusões.
    Não nos importamos se você é a favor ou contra o euro, não nos importamos com sua posição sobre imigração, política externa, tributação ou práticas econômicas. Não estamos interessados ​​na sua posição sobre as uniões gays, estamos ainda menos interessados ​​em saber se você é católico ou muçulmano e realmente não estamos interessados ​​em saber o que você come, se você é vegano ou fruitariano. Em nossa trincheira pela liberdade não se fala de outra coisa senão focar na liberdade de escolha no campo terapêutico, até porque, se o fizéssemos, isso inevitavelmente dividiria ainda mais a frente.
    Se não gostar, pode sair dos nossos grupos, porque ser apartidário para nós é um requisito inegociável, tanto quanto não tomar partido, como Associação, em questões outras que não a liberdade de escolha no domínio da vacinação e da terapêutica.

  3. Não respondemos a nenhuma acusação. Exceto em casos esporádicos, nunca respondemos a ninguém, nem mesmo às mais infames acusações, e isso também em virtude do ponto 1.
    Até agora nos pediram para responder a vários personagens, supostamente gabando-se de nossas declarações, ideias, desenhos, áudio, mensagens, mas nós perguntamos uma coisa, quem está indignado por ouvir dizer? Por que, quando defendemos a causa da liberdade de escolha, o fazemos citando fontes, assim como é legítimo esperar o mesmo quando rumores sobre outras pessoas são espalhados?

    Exemplo clássico e são apenas os últimos em ordem de data, não citamos literalmente, mas para fazer as pessoas entenderem o nível: "Corvelva tendo a sua sede em Verona boicotou a candidatura de um partido." Bem, Corvelva está sediada em Vicenza, Grumolo delle Abbadesse, há 2 anos, e antes disso havia 20 anos na região de Pádua. Consistência dessas acusações, então? O Veronese é uma terra difícil e anômala em comparação com o resto do Veneto e, se você não conhece o território, é difícil entender a situação. Sede Canale Verde, com cobertura vacinal entre as mais altas do Veneto, 99% hexavalente, antiga sede da GSK com uma vida inteira e um histórico consolidado de experimentação com todos os medicamentos e vacinas possíveis. Veronese é também a área onde o paroquialismo talvez encontre sua expressão máxima, mas também uma variedade maravilhosa, e isso em uma área muito grande, perdendo apenas para a área de Belluno, com uma densidade populacional aparentemente alta, mas concentrada, e com uma vasta e bela província, historicamente difícil. a ser consolidado. O território deve ser conhecido.

    Outro exemplo, também em ordem cronológica: “Corvelva mandou seus acionistas votarem no PD”. Apenas fazemos duas perguntas: vocês são mais de 15.000 no grupo do Facebook, cerca de 2000 membros hoje e um boletim informativo de 45.000, deixando de lado a besteira óbvia do PD, algum de vocês já recebeu qualquer indicação de voto em tantos anos? Você responde você mesmo, sem ter que ouvir as inferências de Tizio Caio ou Sempronio.

Jamais voltaremos ao assunto porque não nos importamos e não precisamos dele, alegremente deixamos outros se dedicarem a este jogo, apenas uma coisa que tendemos a fazer às pessoas que fazem perguntas sobre esta ou aquela diatribe: mas você já se perguntou quem se beneficia? Para quem isso traz um benefício?

Cajado de Corvelva