Compromisso das forças políticas em resolver o nó de março

Compromisso das forças políticas em resolver o nó de março

Produzimos as duas comunicações anexas, em referência à circular Miur que já publicamos aqui, solicitando um compromisso concreto para que o direito dos cidadãos seja respeitado e, em particular, neste caso, o de nossos filhos para encerrar o ano educacional. em andamento (0/6).

ESTE NÃO É UM VOTO. Estamos simplesmente traduzindo os problemas e as expectativas dos pais envolvidos: não vamos mais esperar em vão, não confiaremos mais em um Veneto (e em particular em uma Liga ou Movimento 5 estrelas) que não se comprometa AGORA e concretamente para garantir o que no entanto, a lei já previa: ano 2017/18 TRANSITÓRIO, SEM EXCLUSÃO, SEM PUNIÇÃO EM CRIANÇAS DE 0/6 ANOS.

Todos os rumores (pais, gerentes, vozes do corredor e senadores) nos dizem que março será um problema. Bem, o problema deve ser resolvido AGORA, todas as dúvidas devem ser dissipadas, a conclusão do ano para as crianças deve ser assegurada. AGORA.

Queremos enfatizar que atualmente não há emergência de saúde ou epidemia e, portanto, agir à força na remoção de crianças três meses após o final do ano letivo seria uma ação de DIGNIDADE, VERGONHA, PUNITIVA, DISCRIMINANTE E ALTAMENTE PREJUDICIAL. IGUALDADE E DIREITO AO ESTUDO E À CONTINUIDADE DO TREINAMENTO DESTAS CRIANÇAS. As crianças que, até 10/03, não constituírem nenhum risco, perigo ou problema, seriam erradicadas de um ambiente familiar a elas e a possibilidade de terminar pelo menos o ano atual seria excluída (repetimos, por apenas três meses de participação).

AGUARDANDO UMA POSIÇÃO CLARA, COMUNICAMOS QUE A CORVELVA DEIXA TODOS OS TIPOS DE DIÁLOGO INSTITUCIONAL COM QUALQUER FORÇA POLÍTICA QUE NÃO TENTA RESPEITAR O DIREITO DE SEUS CIDADÃOS.

Cumprimentos
Corvelva e mais de 50.000 pais venezianos


Download: Carta à administração da Liga do Norte
Download: Carta à gerência do Movimento 5 Estrelas