Nossa batalha científica - programa 2018-2019

Nossa batalha científica - programa 2018-2019
(Tempo de leitura: 6 - 11 minutos)

Se nosso programa científico lhe parecer consistente, FAÇA PARTE OU FAÇA UMA DOAÇÃO. Só assim você pode nos apoiar. Você pode nos dar seu apoio, mesmo que não seja do Veneto, porque nossos projetos têm eco nacional e o objetivo é comum. Todo euro será destinado a destruir esse sistema doente e cada grama de energia destinada apenas a combater qualquer obrigação. Sempre defendemos a vacinação e a liberdade terapêutica!

Durante décadas, Corvelva realiza atividades de divulgação, pesquisa e diálogo com as autoridades políticas com a máxima transparência, com o objetivo de apoiar a liberdade de escolha em todas as áreas da saúde e, particularmente, no campo das vacinas.

Corvelva realizou várias ações de grande impacto social, no contexto de vacinas pediátricas, incluindo a liberdade de escolha entre 2008 e 2017.
Em 1999, após 6 reuniões com o Ministro da Saúde, levou à aprovação do Decreto Presidencial 355 para acesso à escola para crianças nunca vacinadas. Ele colaborou ativamente com o CONDAV para a aprovação da lei 229 para compensação justa em favor dos afetados pela vacina. Sua atividade de popularização e o apoio aos feridos também são bem conhecidos como sua principal missão.

Nesta perspectiva de trabalho, graças à contribuição das taxas de associação e doações dos membros (lembre-se de que operamos apenas na região de Veneto e, portanto, muito limitada), Corvelva teve a oportunidade de iniciar vários projetos de pesquisa nos anos 2017-2018; projetos em discussão há anos, mas nunca começaram devido à falta de recursos. Muitas vezes, com muita freqüência, o personagem que nos distingue nos limita a divulgar nossos projetos. Isso aconteceu por um lado, devido à nossa total falta de interesse em "aplausos" (sempre consideramos mais importante fazer do que dizer), por outro lado, devido à experiência que nos leva a saber que coisas importantes devem ser protegidas de possíveis ataques, desde que você pode fazer isso.

No entanto, queremos listar aqui o que, entre o ano de 2017 e o ano de 2018, fizemos e o que iniciamos ou pretendemos lançar para combater não apenas a Lei 119, mas todo o cronograma que prevê o uso obrigatório e viável no setor da saúde. Corvelva não chega a um acordo, tudo o que não é a liberdade de escolha para nós é "ar frito". O mesmo se aplica a quaisquer "mudanças" no 119, que apenas mitigariam alguns de seus aspectos: funciona muito bem como aperitivo, mas a batalha deve ser, para nós, contra a obrigação inteiramente e para o reconhecimento dessas verdades científicas que hoje vemos negado até o fim.


1.0 Estudo dos componentes das vacinas
Essa linha de pesquisa foi iniciada como resultado de várias pesquisas internacionais (ver estudos do Dr. Deisher, Dr. Lee, Dr. Montanari e Dr. Gatti, etc.) que demonstraram a falta de transparência em relação à qualidade das vacinas, e como conseqüência da recente publicação do relatório final da Comissão de Inquérito às Forças Armadas, que destaca a presença de contaminantes administrados em doses cumulativas, para as quais não é conhecido o limite máximo tolerado, nem a toxicidade após a administração para por via intramuscular em adultos e crianças (consulte a resposta da EMA à pergunta sobre os limites máximos tolerados para os componentes presentes nas vacinas de Hon. Catalano Ivan).

As pesquisas que serão tratadas abaixo são realizadas em centros de pesquisa italianos e internacionais e em colaboração com profissionais especializados, nos quais Corvelva pretende manter a confidencialidade até a publicação dos resultados, exceto as pessoas diretamente envolvidas nos projetos.

Este estudo inclui vários subprojetos, como:

1.1 Análise qualitativa e quantitativa de contaminações biológicas (DNA humano e animal, vírus, bactérias, fungos etc.)
NA FASE DE CONCLUSÃO. Esta pesquisa foi iniciada em 2017 e está prestes a ser concluída em breve. Resultados preliminares confirmam a presença de contaminação em quantidades significativamente acima do limite imposto pela EMA e pela FDA. A equipe de pesquisa que está realizando faz parte de um centro internacional com habilidades muito avançadas no campo do seqüenciamento de genes.
A determinação qualitativa e quantitativa desse tipo de contaminação é de fundamental importância, pois nenhum limiar é aceitável para material biológico além do antígeno em um medicamento administrado na primeira infância.
TIMING: em fase de conclusão
CUSTO: Médio-Alto

1.2 Análise qualitativa e quantitativa de contaminações químicas
Este estudo está sendo discutido com um centro internacional, o plano é iniciá-lo no final do ano. Essa pesquisa é particularmente cara porque requer o apoio de especialistas de várias filiais em química e microbiologia e de vários laboratórios altamente qualificados, razão pela qual a investigação desses tipos de contaminações dependerá exclusivamente dos recursos disponíveis no momento da assinatura do contrato.
TIMING: para começar em 2018
CUSTO: Alta

1.3 Estudo epidemiológico do banco de dados fornecido pelo Ministério Público de Pádua sobre missionários militares e não missionários
Atualmente, esta pesquisa está em andamento e foi iniciada com a colaboração de uma equipe de epidemiológicos / estatísticos clínicos, que ofereceu seus conhecimentos para continuar o trabalho apresentado à Comissão Parlamentar de Inquérito. O objetivo é determinar a incidência real (ou o mais precisa possível) de casos de doenças na população militar, missionária e não missionária; apesar da preocupante realidade do dano (tanto da vacina para não-missionários quanto de múltiplos fatores tóxicos para os missionários), os dados apresentados à Comissão ainda não haviam sido processados ​​do ponto de vista estatístico para determinar a extensão do dano. Corvelva também apoiou amplamente a divulgação dos resultados da Comissão de Inquérito e a campanha de informação do Exmo. Catalano Ivan e pretende financiar todos os projetos que a Comissão de Inquérito deixou pendentes, a fim de confirmar os resultados da própria Comissão.
TIMING: em fase de conclusão
CUSTO: Médio

1.4 Comissão Parlamentar de Inquérito Urânio Empobrecido
Corvelva há muito tempo decide financiar todos os projetos que visam confirmar os resultados do relatório final da Comissão. Alocamos grandes quantidades de capital para este projeto e planejamos uma série de subprojetos que, por motivos de segurança, não listaremos antes que eles saiam.
TIMING: iniciado em 2018 e continuado
CUSTO: Variável


2.0 Coleta de dados anamnésicos para a criação de um banco de dados de nunca vacinados contra vacinados
Esta pesquisa está dividida em vários subprojetos com múltiplas finalidades. O objetivo principal é a criação de um banco de dados estatisticamente significativo sobre os que nunca foram vacinados e os que sofreram danos e não foram vacinados.

O subprojeto iniciado recentemente refere-se ao seguinte estudo:

2.1 Coleta de dados anamnésicos sobre o status da vacina e as titulações de anticorpos da vacina
O objetivo até agora tem sido criar uma plataforma para coleta de dados em larga escala; o estudo piloto foi realizado e não trouxe os resultados esperados, devido à falta de dados utilizáveis. Este estudo nasceu da necessidade de responder à pergunta sobre a eficácia das vacinas administradas e o estado da imunização natural em crianças nunca vacinadas, como é conhecido e não requer demonstrações de que a cobertura vacinal não coincide com a imunização (ou seja, desenvolvimento de anticorpos).
Deve-se lembrar que a imunização vacinal, por sua vez, não coincide com a proteção contra a doença para a qual é vacinada, pois as vacinas são adequadamente modificadas, mesmo geneticamente, para serem imunogênicas (diferentemente do agente infeccioso), mas não infecciosas. , ao contrário da doença naturalmente contraída que leva à formação de anticorpos protetores frequentemente para a vida toda. Para este fim, a comparação entre o grau de imunização na população vacinada e o grau de imunização protetora natural na nunca vacinada deve permitir maior clareza sobre a real utilidade das vacinas, em comparação com a imunização natural. Deve-se enfatizar que, até o momento, este estudo, de grande importância, nunca havia sido desenvolvido antes, nem em nível nacional nem internacional.
Para iniciar este estudo, foi criada uma equipe de trabalho que faz uso da colaboração de especialistas médicos, estatístico clínico proprietário da plataforma, especialistas em TI e privacidade para processamento de dados de acordo com a nova legislação européia. Corvelva deixou o projeto depois de contribuir, acreditamos de maneira substancial, para o seu lançamento (não apenas economicamente, mas também operacionalmente apoiando todas as fases do start-up).

TIMING: projeto suspenso
CUSTO: 10.000 €

Esse projeto exigia um alto comprometimento de recursos humanos e, consequentemente, de recursos para a manutenção do banco de dados, comprometimento que Corvelva não acreditava mais que poderia manter.

2.2 Estudo comparativo do estado de saúde entre vacinado e nunca vacinado
A avaliação da incidência de patologias certificadas nos dois grupos representativos é o núcleo deste projeto. Seu desenvolvimento dependerá exclusivamente da possibilidade de financiamento. Não é necessário sublinhar a grande importância deste estudo, proposto por vários grupos de pesquisa em nível internacional, mas até agora nunca chegou a conclusões definitivas (ou resultados preliminares estatisticamente significativos)

TIMING: para começar provavelmente em 2019
CUSTO: Alta


Além desses projetos puramente de pesquisa, Corvelva apoiou e ainda apoia com transparência de intenções (ou seja, com o objetivo de conhecer a verdade científica e não a ciência da propaganda) a análise da literatura científica, por pesquisadores de diversas áreas. agências, para obter informações corretas sobre a eficácia e segurança das vacinas, sobre a liberdade de escolha terapêutica e sobre a proteção do meio ambiente.

Em particular, ele apoiou o trabalho do dr. Puliyel, e suas publicações, de grande relevância científica. Isso foi feito diretamente, cooperando e também apoiando financeiramente os pesquisadores italianos que enviaram fisicamente ao dr. Puliyel os dados descobertos pelo PSUR da GlaxoSmithKline.
Ele financiou a publicação do livro pelo prof. Bellavite.
Ele financiou a pesquisa do Instituto Ramazzini sobre o perigo de glifosatos.
Ele financiou publicações científicas individuais para informar também o mundo acadêmico, por exemplo o do dr. Franchi.
Ele financiou a publicação de artigos acadêmicos específicos em periódicos não especializados.

Além disso:
Disponibilizou fundos legais para as atividades de defesa contra membros de várias situações pela administração pública (especialmente no último ano no ambiente escolar)
Produziu campanhas de informação de diversas naturezas e entidades (pôsteres, páginas publicitárias, folhetos, web)
Apoiou algumas organizações que contribuem para a disseminação de iniciativas de liberdade

Nos últimos anos, outro tópico que abordamos está relacionado a crianças com problemas pós-vacinais. O autor Coulter define "dano cerebral mínimo" e são aquelas crianças que têm problemas de aprendizagem, hiperatividade e o grande problema do autismo. Todos os tratamentos propostos foram avaliados por nós e, no momento, não encontramos uma terapia corretiva. Atualmente, estamos em contato com um centro que está experimentando uma nova técnica e informaremos se os resultados são interessantes. a esse respeito, lembramos que nos últimos 10 anos, 55.000 crianças foram psiquiatras no Veneto. Você leu certo, o número e quem tem esses problemas em casa tem uma vida muito difícil.

Essa atividade exige um alto compromisso por parte de várias pessoas, que trabalham voluntariamente, mas que ainda precisam ser apoiadas nas despesas para realizar suas atividades de alta qualidade para um serviço de utilidade pública.

A Lei 119, que impõe a obrigação de vacinação com base na cobertura vacinal e afirma como uma verdade incontestável de que as vacinas são medicamentos seguros e eficazes, não se reflete na realidade que atinge Corvelva diariamente como testemunho de um número crescente de pais que testemunham danos à vacina, não reconhecidos pela comunidade científica por serem considerados estatisticamente insignificantes, aos quais a associação sempre deu voz e ajuda de várias formas, antes de tudo dialogar com forças políticas para que reconheçam a importância de proteger essas famílias e defender o inviolável direito constitucional da liberdade de escolha.

Para esse fim, Corvelva está realizando apenas programas de trabalho baseados no mesmo princípio expresso pelos pais venezianos antes de 2008: solicitando total liberdade de vacinação, trazendo documentação científica incontestável que atesta o princípio da precaução.
Se, junto com os venezianos, ele conseguiu levar a liberdade de vacinação ao Veneto, ele não o fez comprometendo-se.

Pedimos que você continue ao nosso lado nesta batalha, juntar-se ou dar é um gesto de apoio que pode fazer a diferença no sucesso de nossas intenções.

Liberdade de escolha terapêutica, único objetivo de Corvelva.

Obrigado