Carta aberta aos membros e apoiadores do Corvelva

Carta aberta aos membros e apoiadores do Corvelva
(Tempo de leitura: 2 - 4 minutos)
Carta aberta aos membros e apoiadores do Corvelva, e a todos os usuários que nos lêem.

Somos todos espectadores de um momento sombrio e de uma pressão crescente sobre a população para que decida capitular, ceder à chantagem, negociar princípios e ideais para uma "inclusão" dos infelizes na nova sociedade.

Estou escrevendo para compartilhar com todos vocês algumas reflexões que espero que ajudem, nem que seja para fazer um balanço da situação e do que temos pela frente.

Neste momento sentimos um aperto crescente, que se torna palpável através das leis promulgadas e das medidas rigorosas adotadas gradativamente, mas acima de tudo é feito para ser percebido através da ferramenta mais poderosa de que os governantes têm à sua disposição: os meios de comunicação de massa. E não importa se você responde "Eu não assisto TV - eu não tenho": seu vizinho ou seu empregador ou sua mãe tem, e isso é o suficiente para fazer você se sentir caçado (eu falo por mais parte).

Pois bem: vai piorar, está piorando, esta manhã me deparei com uma circular corporativa de uma grande empresa do norte que afirma incluir o passe verde como medida para fazer seus funcionários trabalharem, sob pena de suspensão do trabalho . Eles serão capazes de fazer isso? Eles serão relatados? Será considerado ilegal pelo primeiro juiz chamado a falar? Sim, mas enquanto isso ... Enquanto isso, temos cada vez mais pessoas sob chantagem e cada vez mais pessoas que vivem com medo, ansiedade e preocupação.
Grande interrogação, pois, aquela que paira sobre o mundo escolar, fonte de extrema preocupação para os pais, bem como para os funcionários do MIUR envolvidos.

Nós ouvimos você, nós lemos você, nós "ouvimos" você, todos os dias. Vivemos as mesmas coisas.

O que lhe dizer? Que estamos em um desses pontos de inflexão, um daqueles momentos históricos em que DEVEMOS RESISTIR, DE NOVO E DE NOVO.
Devemos ter clareza de que não será fácil, devemos saber que é assim, devemos enfrentar a realidade imediatamente, para não desmoronar assim que esta realidade nos bater à porta. O confronto verbal deve ser levado em consideração, os ataques devem ser levados em consideração, a intimidação e a chantagem no local de trabalho e em todos os lugares onde o "poder" pode se fazer ouvir.
Grandes empresas, por exemplo, costumam fazer parte desses lugares, de um grande e poderoso lobby que acredita estar exercendo seu poder sobre seus escravos, que seria você, seríamos nós.
E se você acha que tudo isso é injusto, você deve saber que será preciso lutar, resistir e lutar, mesmo que apenas permanecendo no seu lugar, mesmo que apenas para não recuar um centímetro de suas crenças, mesmo que apenas não deixando-se dobrar. Será difícil? provavelmente sim. Quase com certeza. Para isso, devemos estar prontos. Acho que estamos nos estágios finais, mas esses estágios finais serão pesados.

Vai ser preciso coragem e vai entrar em ação - mesmo por meios legais - de todas as maneiras possíveis. Por que estou te contando isso? Para te derrubar? Para deprimir você? NÃO, PARA PRESSIONAR VOCÊ.
Vocês viram que somos tantos que tivemos a prova disso poucos dias atrás, com aquela maré humana que se precipitou nas praças e se encontrou, com alegria no coração, JUNTOS. Aqui, devemos permanecer muitos.
Devemos saber que esta batalha deve ser vencida, e para isso, uma coisa acima de tudo será necessária: NÃO DESISTA. Não ceda à chantagem, esteja disposto, intimamente, a enfrentar esses tempos sombrios de frente. E talvez resistir seja o suficiente.
Não temos a certeza, mas a certeza que deve nos guiar é outra: RESISTIR É A ÚNICA ALTERNATIVA POSSÍVEL, CUSTA O QUE CUSTA, PORQUE DOAR ESTÁ FORA DE DISCUSSÃO.

Podemos nos defender legalmente? sim, mas primeiro você tem que estar disposto a não ceder. Chegou-nos um exemplo marcante do mundo da saúde: muitos resistiram e ainda resistem, tiveram em conta que podem perder os seus salários e obtiveram como resultado que o sistema teve de retroceder (congelar as suspensões). Este é o caminho.
Quem não quer, quem vive regido pelo medo e não pela clarezainterior, mas também alguns que realmente não têm alternativa (existem), cederão. Mas somos muitos e juntos podemos fazer a diferença. Certamente fazemos isso por nós mesmos. Seja um farol de si mesmo. E espere. depois da tempestade, o céu claro sempre chega.
É uma tempestade um pouco mais longa do que o normal? Nì, historicamente temos vivido pior, também para obter os muitos direitos que hoje consideramos garantidos.

Prossiga, amigos, nervos fortes e objetivos claros. Liberdade.
 

Nassim Langrudi - presidente da Corvelva