Objetivo: Vacinar todos

Objetivo: Vacinar todos

Para quem ainda tinha dúvidas, agora está claro: a questão da vacina está longe de estar fechada.
A lei 119 não é suficiente, obviamente o objetivo é muito mais amplo e a lei Lorenzin foi apenas o começo. O atual governo está relançando grande momento e, como sempre, os surtos da mídia estão correndo para o resgate, oferecendo idéias (não importa se são pretexto, falso ou deturpado) para justificar novas medidas e novas emergências falsas.

Nos últimos dias, o surto (8 casos, oito deles) de sarampo em Bari deu nova vida a mais uma onda de alarmismo e contramedidas relacionadas.

Há um elogio para a imaginação variada: de punições a incentivos, eles enlouqueceram.
E assim começamos com os protestos da prisão por novax invocados por um certo Novelli (Forza Itália) que declara descaradamente que "diante de infecções involuntárias ... devem ser previstas sanções penais" ... (desculpe-nos Novelli, mas Isso também se aplica a pessoas vacinadas? Ou você encontrará uma maneira de escrever na lei que o lubrificador vacinado é moralmente inocente e o lubrificador não vacinado deve expiar sua culpa criminalmente?) e sempre estarei do lado do primeiro "... Talvez alguém deva explicar algumas coisas para Novelli, antes de tudo, que é precisamente a evidência científica de que ele fala, prever a possibilidade de que a infecção comece por uma pessoa vacinada; após o qual a Novelli deve ser muito bem explicada, como você estabelece com certeza quem é o paciente e quais as margens de segurança para indicar uma pessoa e não outra como culpada, em uma doença como sarampo altamente contagioso e pela qual use uma vacina de vírus vivo que possa sofrer (e sofrer) mutações. Mas quem se importa, basta encher a boca com as palavras "EVIDÊNCIA CIENTÍFICA" e magicamente tudo se torna possível e real ...

Não termina aqui, também temos o renomado Ricciardi, presidente da ISS, que lamenta que graxeiros perigosos não vacinados (mas saudáveis) possam ter acesso à educação: ele diz que o verdadeiro problema, a causa de tudo, é o dpr 355/99 "Foi criado na Itália desde 1999 - explica Ricciardi - desde que o Parlamento revogou a obrigação de se matricular na escola com o certificado de vacinação, uma bomba microbiológica real. Crianças que não foram vacinadas em 1999 hoje eles têm entre 18 e 19 anos e dezenas de milhares, vivem e se movem e o sarampo é um dos vírus mais contagiosos que existem "Mas em 99, quais foram as vacinas obrigatórias? Tétano, antidíptico, poliomielite, anti-hepatite b ... bem, o que Ricciardi tem a ver com sarampo? Você pode nos explicar isso ??? Logicamente, com ou sem esse decreto, as crianças teriam sido vacinadas ou não vacinadas contra sarampo exatamente da mesma maneira ... mas quem se importa, o que importa agora é elevar a fasquia e ... abrir o caminho para ele. barreira na escola obrigatória ...

A Ordem dos Médicos de Como relança uma campanha de mídia que elogia a discriminação, estrelando uma garota, "isolada ou vacinada?". A questão que domina o quadro de avisos de publicidade (mal administrada, é preciso dizer) foi criada por elas.
Assim, no vácuo, antes de perceber, chegamos a uma sociedade que aceita e apóia a discriminação de crianças saudáveis, livres de mordidas milagrosas. Um idiota e você é socialmente aceitável, nenhum idiota, nenhuma inclusão social. Aberrante.

Em vez disso, existem aqueles que apontam para uma técnica muito amada pelos treinadores: reforço positivo. E, portanto, existem incentivos para quem é vacinado; o objetivo, diz De Micheli, é vacinar 800.000 jovens com mais de 16 anos. E vamos às soluções mais eficazes para essa faixa etária: pensamos em "medidas de incentivo que visariam exatamente facilitar os mecanismos conectados precisamente ao acesso a concursos públicos ou cursos universitários".

Devemos enfrentar a realidade: eles estão dispostos a fazer qualquer coisa para alcançar a meta de vacinar a todos e, possivelmente, tudo. De fato, aqueles que acreditam que o único objetivo real é a erradicação do sarampo (uma possibilidade a ser demonstrada, com evidências científicas em mãos) está muito errado: o novo projeto de lei 770 (projeto de lei do governo, que está sendo examinado pelo Departamento de Higiene e Healthcare in the Senate) prevê a introdução de obrigações sempre que for considerado necessário diante de desvios da cobertura em comparação com o previsto nos planos nacionais de prevenção de vacinas: hoje, hoje é sarampo, amanhã pode ser qualquer outra vacina do HPV a vacina contra a gripe através do anti-meningocócico ou mesmo de qualquer nova vacina futura.

O problema aqui é entender que existe uma tentativa de dizer não a um tratamento de saúde: eles estão prontos para tirar sua escola, seu trabalho (há uma obrigação para os profissionais de saúde em DDL770), de puni-lo economicamente, mas também emocionalmente, sim, porque nesses Nas últimas semanas, a vacinação tornou-se uma OBRIGAÇÃO MORAL; em suma, se você não for vacinado, terá que se envergonhar; se não for vacinado, será punido; se não for vacinado, você estará ISOLADO.
É de se perguntar o que acontece com a obrigação moral diante de todas as crianças e famílias que sofreram danos com essas "vacinas sagradas" e estão sozinhas e abandonadas a si mesmas, quando não ridicularizadas e ocultadas ...

Há quanto tempo vimos esse circo da mídia? Para os tons cada vez mais exacerbados, para o jogo ascendente, para a instigação à discriminação, para a caça ao gorduroso? Percebemos, alguém percebe, que as vacinas estão preenchendo as páginas de jornais, manchetes, declarações de políticos, talk shows há 2 anos e quem mais tem mais? Este país realmente não tem outras urgências? Estamos todos realmente em risco de perder a cobertura vacinal? Mas onde estão esses ultrassons, onde eles estavam antes de 2017? Onde estavam os imunossuprimidos? Eles não existiam?
E o que queremos fazer pelas mortes por infecções hospitalares? Para o aumento do câncer infantil? Para o aumento da diabetes? Pelo aumento de 40% das pessoas com deficiência nas escolas? Como é que estas não são emergências? Já escrevemos sobre isso aqui https://www.corvelva.it/ddl770-lavoro : mortalidade na Itália, de acordo com tabelas Istat vê outras causas primárias ... ninguém quer lidar com isso?

Ainda outro apelo a quem ainda tem uma sociedade civil no coração, cidadãos, políticos, técnicos, médicos, tudo: a medida está completa, aqui uma tensão social que pode se tornar perigosa está deliberadamente ocorrendo, é hora de parar de ceder a essa loucura. Não há emergências de saúde relacionadas a vacinas neste país; houve, pela própria admissão de Gentiloni, em 2017 com o decreto de Lorenzin, e muito menos hoje. A única emergência a remediar, talvez, foi o crescimento de certa desconfiança e desconfiança em relação a uma classe médica incapaz de "cuidar", mas muito boa em "receber incentivos", com escândalos de corrupção e negligência médica da ordem de dia. E quando o povo levanta a cabeça ... então a democracia não é mais "moral" ...


Fontes:

  1. http://www.udinetoday.it/politica/casi-morbillo-bari-deputato-friulano-invoca-carcere-no-vax.html
  2. http://www.quotidianosanita.it/regioni-e-asl/articolo.php?articolo_id=67768
  3. http://www.ansa.it/canale_saluteebenessere/notizie/sanita/2018/11/15/vaccini-ipotesi-incentivi-alluniversita-e-in-concorsi_9b1cb0d4-fa69-432b-b567-fbfffb171f82.html