A denúncia apresentada ao Ministério Público sobre análises metagenômicas

A denúncia apresentada ao Ministério Público sobre análises metagenômicas

Em 16 de agosto de 2018, nossa denúncia sobre os resultados das análises metagenômicas que encomendamos foi depositada no Ministério Público em Roma (tribunal criminal).

Existem várias discrepâncias significativas entre o que foi declarado pelos fabricantes dos medicamentos na documentação ilustrativa e na ficha técnica da vacina individual e o que foi encontrado nas análises. Em alguns casos, essa diferença resulta em um perigo real para a saúde pública.

Em particular, destacamos:

• presença de variantes genéticas em números significativos nos antígenos componentes, na ausência de qualquer estudo científico sobre segurança em saúde na literatura. Na ausência de estudos científicos realizados sobre a segurança de variantes genéticas individuais, não é possível verificar se a população vacinada teve doenças auto-imunes, neurológicas, tumorais (genomas mutantes foram de fato inoculados) ou outras patologias, como conseqüência da administração dessas variantes. variantes, pelo que não é possível afirmar a ausência de consequências patológicas da sua administração.
• A presença de grandes fragmentos de DNA de um genoma humano inteiro, que contêm retrovírus potencialmente infecciosos (HERVs) e são capazes de integrar o DNA das células hospedeiras com um potencial efeito carcinogênico e que podem ser imunogênicos, ou seja, induzir formação de anticorpos anti-DNA autoimunes.
• A presença de proteínas expressas pelo RNA humano, com propriedades imunogênicas, isto é, capazes de desencadear reações alérgicas ou de hipersensibilidade, tanto quanto as proteínas expressas pelo RNA provenientes de linhas celulares de animais embrionários (galinhas), pertencentes a uma organismo humano que não seja o dos vacinados (é grave
problema, por exemplo, para proteínas para uso terapêutico de origem humana).

Convidamos você a ler o texto completo da reclamação, pois existem muitas e diferentes evidências que causam preocupação e que foram relatadas.

Texto exposto


O que se pergunta é: que o Ministério Público Mais Executado deseja ordenar as investigações apropriadas em relação aos fatos, conforme detalhado na narrativa, avaliando quaisquer perfis de ilegalidade criminal dos mesmos, em particular avaliando a existência ou não da casos referidos nos artigos 440 e / ou 443 do código penal
O objetivo da presente reclamação é também formular uma reclamação, sempre em relação aos fatos descritos acima, caso as investigações realizadas pelas autoridades competentes devam surgir casos de crime para os quais a lei exija o julgamento de uma parte da reclamação.

Nosso trabalho não termina aqui, estamos aprofundando ainda mais essas mesmas análises e as expandimos para outras amostras de vacina; Também estamos considerando a realização de outras análises e também a avaliação das composições químicas (próximo projeto a ser iniciado em breve). Qualquer outra evidência será apresentada para expandir o conteúdo da reclamação.

Para apoiar o Corvelva nesse processo e nos ajudar a revelar a verdade sobre o conteúdo desses medicamentos (tão fidisticamente e ilicitamente definido como "muito seguro e muito eficaz"), você pode fazer uma doação (ligação) ou contribuir juntando-se (ligação). Cada contribuição será um passo à frente em direção à liberdade.

Obrigado, Funcionários da Corvelva


Link (anexos à reclamação):

1. Análise laboratorial de amostras das vacinas descritas no texto (SOMENTE PROCURA)
2. Relatório científico popular publicado no site da Corvelva (https://goo.gl/v822th)
3. Resposta da EMA ao Corvelva de 3 de agosto de 2018 (https://goo.gl/UwnFFa)
4. Resposta da EMA ao Sr. Ivan Catalano, 20 de março de 2018 (https://goo.gl/VE2Mvi)