No hospital a cada 3 dias, um recém-nascido é vítima de negligência médica

No hospital a cada 3 dias, um recém-nascido é vítima de negligência médica
(Tempo de leitura: 2 - 3 minutos)

A última fotografia que afeta a dramática condição das crianças nos hospitais foi tirada por AmTrust uma "seguradora de referência em Itália para profissionais e pequenas e médias empresas". Estamos a falar de uma das principais seguradoras que atuam na área da medicina.

Numa Comunicado de imprensa de 23 de outubro de 2018, AmTrust, a seguradora de referência em Itália para profissionais de saúde, apresentou os resultados do «Observatório Baby Case 2018». A fotografia que ele mostrou foi incrível.

A análise foi realizada em mais de 900 casos que ocorreram e foram relatados entre 2010 e 2017 em 138 estruturas do NHS seguradas pela Companhia. Se 7 casos de negligência médica foram notificados em 900 anos, significa, como foi dito no início, que a cada 3 dias uma criança sofre danos!

Infelizmente, subestimamos os dados, porque a AmTrust conseguiu registrar e, obviamente, acompanhar apenas os casos relatados e apenas aqueles nas estruturas que eles seguravam. E todos os outros? Por exemplo, danos não relatados? Os pais nem sempre têm forças para reagir pedindo justiça; levando em conta - sempre explica a AmTrust - que a maioria das reclamações ocorre vários anos após o nascimento!

E o dano que aconteceu em outras estruturas? O Ministério da Saúde cataloga 1386 abrigos públicos e privados na Itália ...

A situação é alarmante, mas, felizmente, está adoçando um pouco, de acordo com os números de 2018 que revelam um ligeiro declínio, uma reviravolta.

Muito felizes por essa tendência descendente, mas não podemos determinar se é devido a uma melhoria repentina e repentina nas condições hospitalares ou talvez pelos efeitos psicológicos prejudiciais induzidos pelo Direito Lorenzin (L.119 / 2017 sobre a obrigação de vacinação), que aumentou enormemente a pressão sobre a classe médica e sobre os pais, fazendo com que nenhum avental branco se arrisque a falar mal de vacinas (sem falar em associá-lo a danos), e talvez também tendo o mesmo resultado em relatórios de negligência médica!

Ainda hoje, por exemplo, lemos que em apenas uma semana até quatro bebês morreram no mesmo hospital em Brescia.

Obviamente, a gerência da saúde exclui a existência de um vínculo entre os episódios. A primária do centro Gaetano chirico afirma: «Não é uma epidemia, não há surto, o risco é gerar medos e alarmes infundados".[2] Certamente será como ele diz, mas estranhamente todos os bebês foram hospitalizados na mesma unidade de terapia intensiva ...

Também porque a mesma ala havia sido fechada no verão passado após a morte de um bebê recém-nascido devido a uma infecção causada por um germe misterioso.

Mas lembre-se de que o problema nacional é o sarampo e quem não é vacinado!


fonte: