As forças políticas têm vergonha!

As forças políticas têm vergonha!

Vergonha para as forças políticas que primeiro enfrentaram a onda de liberdade de escolha e depois permitiram que milhares de CRIANÇAS SAUDÁVEIS fossem deixadas do lado de fora dos portões de suas escolas.

As costas do governo verde-amarelo à questão da liberdade de vacinas são algo surrado, inútil, tentando encontrar justificativas (como as lamentáveis ​​escritas por Hon. Baldino a respeito de um rápido exame do novo projeto de lei apresentado - um texto sobre o qual já tivemos a oportunidade de expressar a nossas opiniões, certamente não compartilhadas por nós).

Que vergonha para o ministro Grillo, que como representante do governo M5S continua endossando as vacinas pediátricas como a única ferramenta preventiva, e que, apesar de suas declarações anteriores contrárias à lei de Lorenzin, hoje como ministro, ele não faz NADA para impedir a gueto de crianças e de fato promove a abolição da única disposição que permitiria que nossos filhos continuassem frequentando jardins de infância;
Vergonha para o ministro Bussetti, que em nome do governo de Lega não levanta um dedo para evitar esse estrago, desde o auge de seu ministério até a educação;

Todos tenham vergonha, estamos em setembro de 2018 e crianças saudáveis ​​são marginalizadas pela sociedade e suas escolas, removidas de seus ambientes.
Todos os representantes dessa política hipócrita e falsa, que quer indicar crianças saudáveis ​​como perigosas para a saúde pública, usando pessoas imunossuprimidas como um escudo confortável, quando todos sabemos muito bem (certo ???) que crianças com hepatite ou HIV TÊM O DIREITO de frequentar espaços dedicados a crianças, de jardins de infância a salas de jogos a qualquer outro lugar, e sua privacidade é protegida, enquanto crianças saudáveis ​​mas não injetadas são EXCLUÍDAS, marcadas como lubrificantes e oferecidas no altar da ciência desviada como vítimas de sacrifício.

Você envergonha todos porque o sono na política não o salva da figura ruim que você está fazendo diante de milhares de famílias que o votaram, confiando em você.

Essa associação esgotou todo espírito de colaboração com sujeitos desse calibre.

Temos sido razoáveis, pacíficos, compreensivos, abertos, dialogando. Agora você passou o sinal.

Um conselho para todas as pessoas que nos seguem: parem de confiar nesses emissários de um ou de outro governo, eles são simplesmente criminosos sem qualquer vislumbre de honestidade.
Pare de falar com aqueles que agem contra nossos filhos.
De nossa parte, não podemos negar que inicialmente confiamos, como todo mundo, que um vislumbre da razoabilidade se manifestou com o voto da extensão ao Senado.
Hoje, podemos apenas observar que, diante dessa traição de intenções e ideais, não há mais confiança.
Nosso maior arrependimento é a adesão insuficiente a projetos alternativos que, nos últimos meses, muitos pais estiveram ocupados criando.
Mais uma vez, nos deixamos levar pela ilusão de que os políticos votados cumpriram suas promessas.
Muitas vezes fomos acusados ​​de pessimismo e falta de confiança nas instituições quando muitos gritaram "todos na escola" e reiteramos a importância de se organizar de maneira diferente. Hoje não estamos felizes que esse realismo fosse necessário.

Já não é hora de dizer que as coisas vão melhorar, na verdade estamos convencidos de que, infelizmente, devemos nos preparar para os tempos sombrios. Essa crença deriva da análise de todos os eventos dos últimos meses. Hoje não há soluções fáceis.

A solução está dentro de nós, só podemos contar com nossas próprias forças, olhando para frente, tentando encontrar cada um os recursos para proteger nossos filhos dos abusos e abusos que esta sociedade está enfrentando.
Cultivamos o amor por nossos filhos, paramos para pensar no que pode ser mais importante do que proteger sua saúde, nosso direito à autodeterminação, a liberdade de fazer as escolhas que acreditamos serem corretas para salvaguardá-los.
Não somos as soluções fáceis (sempre contraditórias pelos resultados), não somos os que o tranquilizam dizendo que alguém vai nos salvar, que as crianças vão comparecer, que esse governo removerá a obrigação (de fato, temos a sensação de que há más surpresas ao virar da esquina). Devemos nos unir, criar rede, apoiar-se, ter coragem e reagir construindo um futuro melhor passo a passo.

Obviamente, a nossa batalha não para, mas hoje não nos pede que fiquemos loucamente atrás de um ou de outro político, é um cenário embaraçoso, apenas esse desprezo vai para esses bonecos.

Última consideração: além das vacinas, esperamos um forte ataque à homeopatia e à fitoterapia, à liberdade de escolha terapêutica ALL, razão pela qual essa associação também se envolverá na disseminação e promoção da conscientização relacionada ao significado de 360 ​​° SAÚDE, convencidos de que o caminho para a liberdade de saúde, ela deve necessariamente passar por uma consciência mais ampla.
Aqui está o direito à saúde, o direito mais importante que temos. Começamos com vacinas para chegar à imposição de protocolos de saúde para toda a população.
Expandindo nosso conhecimento e trabalho em rede para podermos nos defender, o jardim de infância será apenas o começo.

É o momento de determinação e conscientização.

Cajado de Corvelva