Vacina Covid-19: 81% dos voluntários de ensaios clínicos tiveram reações à vacina

Vacina Covid-19: 81% dos voluntários de ensaios clínicos tiveram reações à vacina

Vacina que utiliza linhas celulares fetais humanas HEK293

por Marco Cáceres e Barbara Loe Fisher
Publicado a 6 de Julho de 2020 | Relatórios de vacinação, risco e falha

Uma vacina experimental para COVID-19 foi desenvolvida pela CanSino Biologics, Inc. de Tianjin, China, em colaboração com o Instituto de Biotecnologia da Academia de Ciências Médicas Militares da China. Um ensaio clínico humano de Fase 1 da vacina COVID-19 (adenovírus tipo 5 Ad5-nCoV) foi concluído na China com 108 voluntários, com idades entre 45 e 60 anos. (1 2 3 4)

Nesse estudo, 87 (81%) dos 108 participantes experimentaram pelo menos uma reação adversa dentro de sete dias após a vacinação. Desses, 30 participantes estavam no grupo de doses baixas, 30 no grupo de doses médias e 27 no grupo de doses altas. No geral, 10 dos participantes tiveram reações adversas de grau 3. Dos 36 participantes no grupo de altas doses, seis deles tiveram reações adversas de grau 3. (1 2)

Dor, febre, fadiga, dor de cabeça entre as reações mais comuns à vacina CanSino Ad5-nCoV para COVID-19. 

De acordo com os pesquisadores que conduziram o estudo de fase clínica para a vacina Ad1-nCoV: a reação adversa mais comum no local da injeção foi a dor, que foi relatada em 5 (58%) receptores da vacina. A dor foi relatada em 54 (17%) participantes no grupo de baixa dose, 47 (20%) participantes no grupo de dose média e 56 (21%) participantes no grupo de alta dose. As reações adversas sistêmicas mais comumente relatadas foram febre geral (58 [50%]), fadiga (46 [47%]), dor de cabeça (44 [42%]) e dor muscular (39 [18%]). Foi relatada febre em 17 (15%) participantes no grupo de baixa dose, 42 (15%) no grupo de dose média e 42 (20%) no grupo de alta dose. Dor de cabeça foi relatada em 56 (14%) participantes no grupo de baixa dose, 39 (11%) participantes no grupo de dose média e 31 (17%) participantes no grupo de alta dose. Dor muscular foi relatada em 47 (7%) participantes no grupo de baixa dose, 19 (3%) participantes no grupo de dose média e oito (8%) participantes no grupo de alta dose. (22)

Nove dos participantes, incluindo dois no grupo de doses baixas, dois no grupo de doses médias e cinco no grupo de doses altas, desenvolveram febre de grau 3 acima de 101,3 ° C (38.5 ° F). Um dos participantes do grupo de altas doses relatou "febre severa juntamente com sintomas graves de fadiga, sibilância e dor muscular". Outro participante do grupo de altas doses experimentou "fadiga severa e dor nas articulações". As reações ocorreram dentro de 24 horas após a vacinação. (1 2) 

Ensaios experimentais do mRNA-1273 moderno do COVID-19 COVID-19 também registraram reações de grau 3. 

Assim como no ensaio da vacina Ad5-nCov da CanSino, fase 1, alguns participantes do ensaio da fase 1 do mRNA-1273 COVID-19, realizado pela Moderna, Inc. experimentaram reações de grau 3 no início deste ano. Dos 45 voluntários que participaram do ensaio clínico Moderna durante o período de março a maio de 2020, nove por cento deles tiveram reações adversas graves à vacina mRNA-1273, incluindo Ian Haydon, 29 anos, de Seattle, Washington. (1 2) Haydon foi submetido a reações de Grau 3 doze horas após a obtenção da segunda de duas doses de 250 µg da vacina mRNA-1273. Ele desenvolveu uma febre de mais de 103 graus (39.5 ° C) e acabou desmaiando. (1 2) As reações de grau 3 são descritas pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos (HHS) como "graves ou clinicamente significativas, mas não imediatamente com risco de vida; hospitalização ou hospitalização prolongada; incapacitante; o que limita a capacidade de cuidar de si "como" tomar banho, vestir-se e despir-se, alimentar-se, usar o banheiro, usar drogas ". A única coisa pior que os eventos de Grau 3 são aqueles classificados como Grau 4, que é "fatal" e "Grau 5, que é" morte ". (5 6 7) 

O CanSino informou ter entrado na Fase 2 do ensaio clínico em humanos na vacina Ad5-nCoV para COVID-19.

Segundo informações, a CanSino Biologics iniciou um ensaio clínico em fase 2 da vacina Ad5-nCoV usando a linha celular HEK293, que fornece testes em 500 voluntários saudáveis. Em 12 de maio, o Conselho Nacional de Pesquisa do Canadá (NRC) anunciou um acordo de colaboração com a empresa chinesa para "avançar no tratamento biotecnológico e no desenvolvimento clínico no Canadá" para a vacina Ad5-nCoV. (4 8 9 10) Em um comunicado à imprensa, o NRC disse: "Esta parceria permitirá que o NRC avance em um processo de produção em escala (alto nível) para a vacina candidata, usando sua linha de células proprietária. HEK293 "(9 10) Para facilitar esse trabalho, o governo canadense anunciou que fornecerá US $ 44 milhões para atualizar as instalações do NRC de Montreal para" permitir a conformidade com os padrões de Boas Práticas de Fabricação (GMP) "e" garantir a disponibilidade de potenciais candidatos a vacinas para o biotratamento canadense assim que estiverem disponíveis "(9). "É o momento perfeito para tirar proveito da tecnologia de ponta e dos recursos de ambos os lados, essenciais para o desenvolvimento do Ad5-nCoV", disse Xuefeng Yu, CEO da CanSino Biologics. (10)

A vacina CanSino Ad5-n-CoV utiliza linhas de células fetais humanas HEK-293 para produção. 

O Life Site News noticiou em 26 de junho de 2020 que a vacina Ad5-n-CoV do CanSino usa um vetor de adenovírus de chimpanzé que usa linhas de células HEK293 derivadas do tecido de um feto abortado. (11) A linha de células fetais humanas HEK293, que Foi projetada, desenvolvida e autorizada pelo Conselho Nacional de Pesquisa do Canadá (NRC); também é usada para produzir a vacina AZD1222 COVID-19 desenvolvida pelo Instituto Jenner da Universidade de Oxford. O comunicado de imprensa conjunto de 12 de maio de 2020 emitido pelo NRC canadense e pela CanSino Biologics, Inc. disse: "O relacionamento entre o NRC e o CanSinoBIO foi estabelecido pela primeira vez em 2013. A linha de células HEK293 do NRC foi posteriormente licenciado para o CanSinoBIO e utilizado para o desenvolvimento de uma vacina aprovada contra o vírus Ebola "(12).

De acordo com a News Medical:

A linha celular HEK293 foi produzida inicialmente em 1973 por uma equipe liderada por Alex van der Eb em Leiden (Holanda) a partir de células renais humanas embrionárias fetais normais. Essas células foram criadas após uma transfecção com o adenovírus de DNA 5 cortado, o que levou à incorporação de parte do genoma adenoviral no cromossomo humano 19 do genoma da célula fetal. O nome 293 deriva do fato de ter sido o 293º experimento de Frank Graham (um dos pós-doutorados de van de Eb). Pensa-se inicialmente que essas células se originam de uma célula endotelial, epitelial ou fibroblástica do rim fetal. No entanto, evidências recentes nas características celulares das células HEK293 levaram à sugestão de que elas podem realmente vir de uma célula neuronal do rim fetal. Após estudos de sequenciamento, também foi identificado que essas células têm um cariótipo muito complicado, com várias cópias de cromossomos. Por exemplo, essas células têm quatro cópias do cromossomo 17. Também foi estabelecido que essas células não têm um único cromossomo Y, mas têm três cromossomos X, o que sugere que o feto do qual foram obtidos é uma mulher. (13)

A célula HEK293 é descrita pela Creative Biolabs desta maneira:

A linhagem de células do rim embrionário humano 293 (HEK293) é um hospedeiro predominante para a expressão estável e transitória de proteínas de graus variados de pesquisa e proteínas terapêuticas e, mais recentemente, cinco agentes terapêuticos produzidos nas células HEK293 são foram aprovados pelo FDA ou pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA) para uso terapêutico. Desde que foi gerada há mais de 40 anos, a linha celular HEK293 tem sido amplamente utilizada como uma plataforma robusta e confiável para produzir muitos anticorpos recombinantes, proteínas de fusão de anticorpos e proteínas importantes para o neurofarmacologista, como receptores emparelhados. Proteína G, canais de íons dependentes de ligantes e canais de íons sensíveis à tensão (tensão). A linha celular HEK293 foi originalmente gerada pela transformação de células normais do rim embrionário humano (HEK) após exposição a fragmentos cortados do adenovírus humano tipo 5 (Ad5) do DNA. O gene do adenovírus E1A é expresso nessas células e participa da transativação de alguns promotores virais, permitindo que essas células produzam níveis muito altos de proteínas. (14)


Referências

  1. Branswell H. Estudo inicial da vacina Covid-19 desenvolvido na China vê resultados mistos. STAT Maio 22, 2020.
  2. Hou LH, et ai. Segurança, tolerabilidade e imunogenicidade de uma vacina COVID-5 vetorizada de adenovírus recombinante do tipo 19: um ensaio de escalonamento de dose, de rótulo aberto, não randomizado, primeiro em humano. The Lancet 13 de junho de 2020; 395 (10240): 1845-1854.
  3. Liu A. Chinesa CanSino Bio leva a vacina COVID-19 para a fase 2 com dados preliminares de segurança. Fierce Pharma 10 de abril de 2020.
  4. Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA. CanSino Biologics move candidato a vacina COVID-19 para julgamento de fase 2Notícias da FDA 14 de abril de 2020.
  5. Cáceres M. Sujeitos saudáveis ​​de ensaios clínicos sofrem efeitos colaterais de grau 3 à vacina mRNA COVID-19 da Moderna. A reação da vacina Maio 24, 2020.
  6. Cáceres M. Voluntário descreve sua reação séria no ensaio de vacina mRNA COVID-19 da ModernaA reação da vacina Maio 30, 2020.
  7. Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA. Critérios comuns de terminologia para eventos adversos (CTCAE). 27 de novembro de 2017.
  8. Rettner R. Vacina contra o coronavírus desenvolvida na China mostra promessa após estudo inicial em 100 pessoas. Fox News Maio 27, 2020.
  9. Comunicado de Imprensa. O Conselho Nacional de Pesquisa do Canadá e a CanSino Biologics Inc. anunciam colaboração para avançar a vacina contra COVID-19. Conselho Nacional de Pesquisa do Canadá em 12 de maio de 2020.
  10. Prezado A. CanSino Biologics pode iniciar o desenvolvimento clínico de vacinas Covid-19 no Canadá. Notícias MedCity Maio 13, 2020.
  11. Murdoch A. Universidade britânica testa vacina COVID-19 derivada de linha celular fetal abortada na África, Brasil. Notícias do site da vida Junho 26, 2020.
  12. Bloomberg. NRC do Canadá e CanSino Biologics, Inc. anunciam colaboração para avançar a vacina contra COVID-19. Pode 12, 2020.
  13. Simmons H. Células HEK293: Aplicações e vantagens. Notícias Médicas 8 de janeiro de 2019.
  14. Biolabs criativos. Linhas de células HEK293. 2020.

fonte: https://thevaccinereaction.org/2020/07/81-percent-of-clinical-trial-volunteers-suffer-reactions-to-cansino-biologics-covid-19-vaccine-that-uses-hek293-human-fetal-cell-lines/


Tradução de Giulia G.